Enquanto aguardava o ônibus que me levaria para casa, fiquei observando a quantidade de carros que passavam e notei que a maioria deles era ocupada por apenas uma pessoa, o(a) motorista.  Cada qual com seus pensamentos, seus sonhos, seus compromissos, seus medo, suas dores, suas alegrias, suas esperanças….

Muitos com certeza dirigiam-se a um mesmo lugar, ou senão a lugares próximos. Quantos deles se encontram todos os dias no mesmo trajeto e se fosse num transporte mais coletivo, poderiam, até alguns formar grupos de amigos. Mas não, estamos ainda nos deleitando em cada um ter seu carro.  É sinal de status para alguns, necessidade para outros.

Há até um certo preconceito para com quem usa ônibus como meio de transporte. Algumas pessoas e até  alguns dos próprios usuários veem como uma situação de precariedade.  Mas como é uma questão de educação , conhecimento e conscientização, vamos levando essa situação cada vez mais complicada que é o deslocamento nas grandes cidades.

Será que há muitas pessoas refletindo sobre seus deslocamentos e qual poderia ser a vantagem de adotar mais e diferentes meios de transporte coletivo? Ou será que impregnados pelo individualismo e da vontade de levar  vantagem apenas para si mesmo se contentam, em desejar que os motoristas ao seu redor deixem seus carros na garagem e andem de ônibus para que a via de trânsito fique mais livre ?

 Não será simples encontrar uma solução. Um pouco o problema poderia ser resolvido, se a maior parte das pessoas morasse próximo do seu local de trabalho, e fosse a pé ou de  bicicleta , mas no momento histórico atual, nesta grande dinâmica que é o mercado de trabalho numa região metropolitana, parece impensável tal situação.

Não podemos deixar que apenas o poder  público busque soluções para que os deslocamentos  da população sejam melhorados. Para isso é preciso deixar de lado o individualismo e pensar coletivamente em soluções que atendam a todos.

No momento em que a política está desacreditada, a população precisa começar a agir coletivamente para encontrar soluções para os diversos problemas que desafiam a vida nas grandes cidades.