Em Pinhais, a Secretaria de Saúde, por meio das Unidades de Saúde da Família, está mobilizada em prol da iniciativa. “Prevenção ao suicídio – falar é a melhor solução!”

No Brasil, por dia, 32 pessoas tiram a própria vida. No município de Pinhais, em média 12 pessoas tentam suicídio ao mês. Com o objetivo de prevenir este mal e alertar a população a respeito desta realidade que atinge pessoas no mundo todo, o mês de setembro é dedicado ao tema. Em Pinhais, a Secretaria de Saúde, por meio das Unidades de Saúde da Família, está mobilizada em prol do Setembro Amarelo e trabalham com a temática “Prevenção ao suicídio – falar é a melhor solução!”.

A Campanha Setembro Amarelo teve início no Brasil em 2014, pelo Centro de Valorização da Vida, Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Psiquiatria. A nível mundial a Associação Internacional para Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa.

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos, por isso o que mais se enfatiza na campanha é a importância de falar sobre o assunto e a atenção daqueles que estão à volta para auxiliar por esta busca de ajuda.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde suicidas podem, frequentemente, dar sinais de sua intenção. “Falar sobre o suicídio não induz o ato, pelo contrário, falar sobre assunto ajuda a pessoa e a faz se sentir acolhida, por perceber que alguém se interessa por seu sofrimento. Entretanto, a ajuda profissional é fundamental para este momento”, explica Dielli Bondan Reis, do Departamento de Vigilância em Saúde.

 

Centro de Valorização da Vida

O Centro de Valorização da Vida, entidade sem fins lucrativos, é um dos principais mobilizadores do Setembro Amarelo e atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962. Para entrar em contato com a instituição basta acessar o site www.cvv.org.br ou ainda por meio do telefone 141.

Considerado um problema de saúde pública, a taxa do suicídio é superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Um mal silencioso que pede muita atenção. “A ameaça do suicídio deve ser levada a sério, pois é um indicativo de que a pessoa está em sofrimento e necessita de ajuda”, afirma Dielli.

 

Serviço

Procure a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência ou a UPA 24h. “Falar é a melhor solução”.