Mesmo com o amplo trabalho de conscientização, desde à infância, sobre a necessidade de cuidar da produção e descarte correto dos resíduos particulares, domiciliares, industriais, comerciais e agrícolas, o lixo continua ainda sendo um dos sérios problemas nas cidades e seus arredores. O que é chamado de lixo, é na verdade um recurso valioso que poucas pessoas se dão conta. Mas para que o mesmo possa ser aproveitado, é necessário separar o lixo úmido do seco porque todos podem ser utilizados para os mais diferentes fins. Cascas de legumes e frutas, restos de alimentos, verduras, ossos, podem virar adubo, gás combustível e gerar energia para abastecer máquinas, pequenas empresas e até vilas ou cidades inteiras.

Os resíduos secos, podem ser reaproveitados, reciclados e transformados em outros objetos para as mais diferentes utilidades e ainda gerar renda para muitas pessoas ou instituições.

Mas como chegar ao ponto de não ter problemas com o lixo se um ato simples como separar o lixo seco do úmido ainda não acontece na maioria das casas e instituições públicas e privadas? Muitas vezes, separa-se o lixo nos pequenos ambientescomo salas e escritórios, mas quando o mesmo chega no destino final de seu depósito, seja no espaço doméstico ou empresarial, é misturado num mesmo latão e acaba indo para os aterros sanitários ou é despejado em lixões clandestinos.

A busca de soluções para o lixo exige cada vez mais que a sociedade como um todo veja a necessidade de mudança de hábitos e mentalidade em relação a tudo que usa e consome.

Investir apenas na coleta e destinação dos resíduos, não vai resolver o problema, pois aumentando a população nas cidades e mantendo-se o padrão de consumo de produtos industrializados, os resíduos aumentarão também.

Em Curitiba, por exemplo, são reciclados mais de 70 toneladas por dia em depósitos municipais, enquanto mais de 300 toneladas diárias são recicladas por pequenos empresários e milhares de catadores.

Dos 5.507 municípios brasileiros, 76% deles destinam seus resíduos para lixões, sendoque muitos deles, ainda não tem a preocupação de reciclar ou cuidar de separar o material hospitalar de outros resíduos. Essa situação, além de gerarproblemas ambientais, afeta também a saúde da população que eventualmente tenha contato com esses depósitos.

Atitudes corretas em relação ao lixo dependem de cada um de nós, como consumidores separando e cuidado dos resíduos que produzimos e como cidadãos exigindo que o mercado ofereça produtos de forma mais responsável.

  • Você se responsabiliza com o lixo que produz?
  • Ao adquirir produtos para seu uso e consumo, você observa e procura levar aqueles que tenham menos material a ser descartado?
  • No seu local de trabalho, estudo, lazer, você tem colaborado para criar um ambiente coletivo, onde o lixo seja tratado de forma correta e responsável? De que maneira?

Se cada um fizer a sua parte é possível construir uma sociedade onde o consumo de bens e produtos, seja feito de forma mais consciente e uma cidade limpa, livre de lixo pelas ruas e ambientes naturais seja a realidade desfrutada por todos.

%d blogueiros gostam disto: