Doping: Conheças as substâncias proibidas para os atletas

12 jan, 2022

Você certamente já ouviu falar no exame antidoping, não é mesmo?  

O termo muito utilizado, costuma ganhar destaque em meio a grandes competições, como os Jogos Olímpicos.

De antemão, o doping é caracterizado pelo uso de substâncias capazes de modificar o desempenho do atleta.

Ou seja, aquele que deseja aumentar seu rendimento, força, agilidade e até a perda de peso.

O uso dessa substância pode causar suspensão, afetar a carreira e ainda causar sérios problemas de saúde. 

Preparamos esse artigo para que você entenda e saiba realmente o que é o doping. 

Vamos lá?

Saiba mais: A 21ª Copa Pinhais e a 6ª Copa Evangélica são promovidas pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

O que é doping?

De forma resumida, o doping é o uso de substâncias sintéticas no corpo.

Seu foco é em potencializar os ganhos de massa, desempenho, rendimento, força, concentração e assim, reduzir as perdas de cansaço, fadiga e o tempo de recuperação.

O doping modifica a resposta que a pessoa teria perante um estímulo, gerando benefícios.

A duração do efeito é curta, mas proporciona malefícios com o passar do tempo. 

Desse modo, os atletas utilizam de forma pontual.

Tipos de doping

Todos os anos, a Agência Mundial Antidoping -WADA publica uma lista atualizada com todas as substâncias proibidas para os atletas. 

Contudo, as punições variam de advertências ao banimento do atleta.

Os principais tipos de dopings listados pela WADA são:

  • Estimulantes: agem diretamente no cérebro e corpo, contribuindo para um estado de alerta, competitividade e agressividade. A substância é conhecida por diminuir o cansaço e dar força e disposição ao atleta;
  • Esteróides: conhecidos também como anabólicos são parecidos com os efeitos da testosterona, fazendo com que o usuário aumente a sua carga de treinamento;
  • HGH -Hormônio de Crescimento Humano: hormônio natural conhecido por estimular o crescimento e auxiliar na formação de músculos e tecidos;
  • EPO – Eritropoietina: amplia a capacidade do corpo de usar o oxigênio, muito usado por atletas de resistência ou esportes de explosão;
  • Betabloqueadores: reduz batimentos cardíacos e contém os tremores em modalidade de tiro ao alvo e arco e flecha;
  • Doping sanguíneo: injeção de glóbulos vermelhos ou substâncias semelhantes para aumentar o número dessas células no corpo. O sangue do competidor é retirado, armazenado e reintroduzido um mês antes da competição.

Como o doping beneficia os atletas

Como dito, o doping nada mais é do que o uso de substâncias, drogas ou métodos ilícitos, utilizados para melhora do desempenho esportivo. 

O vício em remédio é um problema que não para de crescer e merece atenção, afinal, pode gerar dependência. 

Esses métodos podem aumentar a resistência corporal fazendo com que o atleta tenha vantagens durante a competição em relação aos demais participantes.

E isso não é aceitável.

Substâncias mais usadas e consideradas doping

As substâncias mais utilizadas e que são consideradas doping, são todas aquelas que aumentam a força e resistência muscular, diminuindo a dor e sensação de fadiga.

Todas essas substâncias tecnicamente proibidas aos atletas são divididas em classes farmacológicas-estimulantes, narcótico-analgésicos, diuréticos e hormônios.

Confira as substâncias mais usadas pelos atletas

Algumas das principais substâncias utilizadas são:

  • Estimulantes: excitam e alteram o metabolismo como a cafeína, cocaína e crack. Não se preocupe os atletas podem tomar café, desde que não passe do nível tolerado pelo Comitê Olímpico Internacional;
  • Narcótico-analgesicos: dopam e relaxam o atleta, muito utilizado para diminuir a dor, como a morfina e heroína;
  • Diuréticos: aumentam a produção de urina reduzindo inchaços e retenção de líquidos. São muito utilizados para perda de peso ou ainda como um disfarce para outras substâncias no corpo;
  • Hormônios: conhecidos por alterarem o desenvolvimento físico, tornando- se completamente proibido para competidores olímpicos.

.

Como funciona o exame antidoping

O uso de drogas sintéticas ou qualquer tipo de substância que melhore a forma artificial do rendimento de um atleta durante competições, são considerados doping.

Outros recursos como suplementação intra-treino, bebidas energéticas, sucos detox, alimentação rígida, que não impactam diretamente no rendimento, podem ser utilizados. 

Portanto, o exame antidoping é realizado por meio de análises após competições e pela coleta da urina do atleta.

O material coletado é dividido em duas partes, tendo assim, prova e contraprova. 

Ou seja, se detectado elementos ilícitos definidos pela Agência Mundial de Antidoping, a outra metade é utilizada para contraprova, caso o atleta recorra a infração cometida.

Punições para atletas pegos no doping

Quando pego no exame antidoping, o atleta tem o direito de tentar se explicar.

Porém, se for comprovado o doping, é imediatamente punido de acordo com a substância utilizada.

A punição mais comum é a suspensão que pode durar de três meses a dois anos, em casos de reincidência o competidor corre o risco de ser excluído para sempre. 

Quando o resultado aparece em competições, o competidor perde o direito de medalha.

Os atletas precisam estar atentos, afinal os exames antidoping podem ser realizados sem um aviso prévio, ou seja, de surpresa.

Veja também: Paranaense de 26 anos, Gabriel Casagrande conquista título da Stock Car.

<a href="https://maispinhais.com.br/author/paulamoraes/" target="_self">Paula Moraes</a>

Paula Moraes

Redatora freelancer, estudante de marketing digital, amante da comunicação, focada na produção de conteúdos relevantes!

0 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: