O que muda no mercado imobiliário pós-pandemia?

13 out, 2021

O inicio de 2021, apresentou resultados positivos sobre o mercado imobiliário. Mas, uma dúvida ainda é comum, o que muda no mercado imobiliário pós-pandemia?

Para aproveitar o momento, as empresas vêm apostando em imóveis que tenham áreas de lazer no mesmo espaço.

Afinal, as pessoas estão passando mais tempo em casa, e tendo tudo na “porta de casa”, facilita ainda mais.

Quer entender melhor e saber o que esperar no pós pandemia?

Continue a leitura!

Mercado imobiliário brasileiro 

O mercado imobiliário foi um dos setores que mais conseguiu se recuperar da crise causada pela pandemia de Covid-19.

A taxa Selic, conhecida por ser a taxa média ajustada dos financiamentos diários, apresentou uma baixa histórica em 2020, o que ajudou na recuperação do mercado de imóveis em 2021.

De acordo com a Pesquisa  Secovi-SP realizada em junho, o mercado alcançou recordes no primeiro semestre do ano.

Os lançamentos no Brasil totalizaram 27.114 unidades, enquanto as vendas apresentaram resultados de 29.935 unidades comercializadas. 

Na cidade de São Paulo, o mercado imobiliário apresentou o melhor resultado em 17 anos.

Houve um crescimento de 10%, considerado muito acima do crescimento de qualquer setor. Como resultado, mercado aquecido e preços mais altos.

Quais as projeções do mercado imobiliário pós-pandemia?

Com as mudanças constantes e a readequação de famílias diante da pandemia, algumas tendências podem impactar o futuro do mercado imobiliário.
Algumas mudanças como valorização dos negócios locais e mudança de perfil de quem está em busca de apartamento, são esperadas

Em suma, jovens solteiros saem de cena, e dão espaço aos recém separados. Veja as projeções: 

Valorização de negócios locais

Com o aumento do home office, a relação das pessoas com suas casas foi modificada.

Isso faz com que o período em casa sirva de inspiração para a instalação de espaços comerciais no térreo de edifícios, por exemplo, onde existe a livre passagem dos pedestres.

Cidades efêmeras

Com alguns locais fechados e que geram lucro para cidades pequenas, é previsto que a atuação passe a ser em um centro de lazer.

Imóveis próximos a essas regiões serão privilegiados e os aluguéis passarão a ter mais valor.

Famílias pequenas

As mulheres estão à frente na força de trabalho, e com qualificações profissionais mais elevadas, o que combina com projetos de vida mais seguros, pela incerteza do que esperar no futuro.

Isso faz com que as famílias optem por não ter filhos até as coisas voltarem ao normal.

Contudo, pode-se esperar casas menores e com menos pessoas habitando .

Principais pontos de mudança no mercado imobiliário

Diante um cenário econômico tentando voltar ao normal, o número de pessoas que sonham com a casa própria caiu.

No entanto, as soluções digitais e modernidades estão sendo utilizadas nos planos de venda, tornando o processo prático e com menos burocracia. 

Por esse motivo, suas expectativas de  mudanças são:

  • Competitividade digital;
  • Tecnologia mobile e sites com respostas imediatas;
  • Portais imobiliários;
  • Projetos sustentáveis;
  • Ambientes que sejam próximos a empresas; 
  • Materiais de divulgação audiovisual;
  • Tecnologia para otimizar a experiência do cliente;
  • Realidade virtual.

A intenção, é promover aos consumidores satisfação para que se sintam motivados a realizar a compra de um imóvel.

A expectativa é que a tecnologia esteja cada vez mais presente, afinal, pode ser integrada de diversas formas.

Retomada presencial do mercado imobiliário

O mercado imobiliário carrega boas expectativas para 2022.

O maior tempo em casa devido ao isolamento, configurou rotinas para se tornarem um indicativo no mercado imobiliário.

Consumidores passaram a buscar imóveis maiores e com espaço para home office, sem haver a necessidade de estar longe do trabalho.

Como dito anteriormente a taxa Selic apresentou queda e se mantém relativamente baixa, se tornando um ótimo investimento para quem deseja vender ou alugar um imóvel.

Além disso, o momento ressalta a importância de aproveitar as taxas para investir em imóveis.

Tendências do mercado imobiliário pós-pandemia

A pandemia gerou um efeito sobre moradias, com o isolamento social foi preciso passar mais tempo em casa e na maioria das vezes trabalhando.

Isso fez com que as pessoas valorizassem aquilo que podem ter.

Assim, as tendências têm acompanhado as necessidades daqueles que ainda estão em isolamento ou que querem outras perspectivas para qualidade de vida.

As principais tendências pós-pandemia, serão:

  • Casas mais arejadas e espaçosas;
  • Imóveis com opções de varanda e terraço;
  • Ambientes otimizados para o home office;
  • Espaços com natureza;
  • Bairros e condomínios planejados e completos.

As tendências vem se modificando com o passar do meses. Ademais, é possível garantir bem estar aos compradores mesmo durante isolamento social.
Como podemos perceber, o mercado vem seguindo uma linha de valorização dos imóveis, de acordo com as necessidades dos moradores.

E você o que espera pós-pandemia?

Paula Moraes

Redatora freelancer, estudante de marketing digital, amante da comunicação, focada na produção de conteúdos relevantes!

0 comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Suplementos em Pinhais
Suplementos em Pinhais

Pin It on Pinterest

Share This
%d blogueiros gostam disto: