Em algumas partes do mundo, como na Coréia do Sul em algumas cidades, prédios estão sendo construídos com o objetivo de serem fazendas verticais para a produção de alimentos visando atender a população que mora nos grandes adensamentos urbanos.

No Brasil não precisamos disso, pois o nosso país possui um imenso território quase desabitado que tem potencial para produzir alimentos e abastecer a população nacional e ainda exportar para outros paises. O que acontece no Brasil é a não devida utilização desse potencial, por falta de investimentos e estrutura adequada no atendimento ao pequeno produtor rural, pois é ele que planta os alimentos básicos que são  consumidos nas cidades. Devido a essa falta de apoio ao pequeno produtor, muitos intermediários se aproveitam e o custo dos alimentos encarece muito e outras vezes as condições de armazenamento e transporte precários ocasionam o desperdício que é muito grande em nosso país.

Algumas cidades brasileiras são verdadeiros oásis na produção de alimentos como verduras, legumes e frutas. Geralmente elas se localizam ao redor de grandes capitais, formando o chamado cinturão verde.

Na Região Metropolitana de Curitiba, há uma certa cultura por parte das pessoas em ter hortas e pomares em seus terrenos e quintais. Muitos desses terrenos, produzem diversos tipos de legumes e verduras e abastecem o comércio local, como mercados e quitandas, proporcionando à população local e também das cidades vizinhas um alimento mais fresco e saudável.

Em Curitiba, em alguns bairros , terrenos ociosos são divididos entre os moradores da região que tem interesse  em cultivá-los. Cada morador interessado cultiva um determinado espaço, plantando um determinado tipo de alimento. Dessa forma, um terreno baldio torna-se útil, une uma comunidade e além de produzir alimentos, produz sociabilidade e saúde.

Na cidade de Pinhais o próprio poder público, através de secretaria específica, fornece mudas e sementes, orienta e estimula a sua população a organizar hortas e produzir alguns alimentos que são consumidos pela família que produz e até vendidos ou doados a outras pessoas.

Mesmo em áreas urbanas, com um pouco de planejamento e informação, podemos produzir alguns alimentos que usamos no dia a dia. Isso além de melhorar a nossa saúde, pode trazer satisfação pessoal, aliviar o estresse e embelezar aquele cantinho no quintal ou condomínio, com cores e perfumes naturais.


Vivemos num mundo onde tudo parece a cada dia ser mais artificial. Os alimentos são tão processados que fica difícil às vezes reconhecer como ele era antes de chegar ao nosso prato. Então, praticar o ritual de colocar umas sementes na terra, ver  ela crescer e depois servir nos como alimento, ajuda-nos a ter mais respeito com as plantas, com o momento da refeição e com a vida.

%d blogueiros gostam disto: