Smart Drugs: O que são e como atuam?

22 fev, 2022

São tantas as inovações que surgiu uma droga capaz de melhorar a capacidade de aprendizado. 

Parece estranho? Porém, isso já acontece em muitas localidades.

A sensação de cansaço e falta de concentração, acabam sendo comuns no dia a dia de muitas pessoas que têm rotinas exaustivas.

Ou ainda quem quer passar em um vestibular ou prova importante sem ficar horas lendo e estudando.

Contudo, as smart drugs ou Nootrópicos como também são conhecidas, vem ganhando fama e se tornando populares. 

Isso ocorre, pois prometem um avançado nível de concentração. 

Leia esse artigo e entenda sobre essas drogas da inteligência. Acompanhe também as nossas notícias do Brasil

Boa leitura!

O que são smart drugs

São conhecidas como substâncias que atuam nas ações cerebrais.

Aumentando a atenção, memória, raciocínio e a performance de pessoas que sofrem com o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade – TDAH. 

Além disso, é indicado se preciso para pessoas com depressão ou ainda que querem apenas serem mais produtivas.

Os nootrópicos atuam diretamente no sistema nervoso, por conta do seu forte poder estimulante de neurotransmissores. 

Muito utilizado por investidores do mercado financeiro, empresários e programadores, promove maior foco por muito mais tempo.

Veja também: Empregos em alta para 2022: tecnologia, ciência de dados e design são as áreas de destaque no Brasil, segundo LinkedIn.

Quem já usou as smart drugs

O CEO do Bulletproof afirmou em entrevista que colaboradores de cargos mais altos da empresa usam de forma comum as smart drugs. 

O uso tem como objetivo criar suplementos personalizados que auxiliem o cérebro a trabalhar melhor.

Por outro lado, o jornalista britânico Johann Hari, conta que ao usar as smart drugs, sentiu sua mente turbinada, trabalhando mais rápido e com maior foco. 

Mas,por não estudar constantemente, suspendeu o uso para evitar danos cerebrais.

Por último e não menos importante, tem o empresário Tim Ferriss. 

Ele mistura suplementos naturais e compostos sintéticos para se assemelhar às drogas da inteligência e assim, encontrar melhores estimulantes.

Smart Drugs mais conhecidas

Como pudemos perceber, o foco principal do uso das smart drugs é potencializar a cognição.

Além de liberar hormônios da dopamina, controlar o humor, promover sensação de concentração. 

Veja a seguir os nootrópicos mais conhecidos:

Piracetam

Medicamento do grupo dos racetams (utilizados no tratamento de doenças neurológicas), surgiu em 1960. 

É indicado para tratar perda de memória, alterações da atenção, falta de direção, dislexia em crianças, vertigens e alterações da função cerebral, após AVC – Acidente Vascular Cerebral.

Ritalina

Atua como um estimulante leve do sistema nervoso central. 

Inibindo a recaptação da dopamina, ou seja estimula atividade mental, eliminando a sonolência durante o dia, proporcionando mais foco e concentração.

Anfetamina-dextroanfetamina

Sintetizado no século XX, é um estimulante do sistema nervoso central. 

Muito utilizado na forma de sulfato para tratamentos do TDAH e da narcolepsia.

Modafinil

Utilizado no tratamento da narcolepsia, uma condição que causa sonolência extrema. 

Esse medicamento auxilia para que as pessoas se mantenham acordadas por mais tempo, reduzindo possíveis episódios de sono incontrolável.

Por que as smart drugs são usadas

Dadas como potencializadores de cognição, os famosos remédios para inteligência são utilizados por pessoas que querem melhorar seu desempenho, concentração e ampliar a sua capacidade mental, buscando destaque no trabalho e estudos.

Mas, é necessário cuidado, a prescrição desses medicamentos são recomendados para transtornos específicos, o que torna o uso indevido/perigoso. 

Nossa indicação é de que seja procurado um médico antes de se automedicar.

Quais são as contraindicações do uso dos remédios

Assim como qualquer medicamento as smart drugs tem contraindicações. 

Antes de iniciar o uso da medicação é fundamental procurar um médico de confiança. 

As smart drugs são prescritas para doenças como déficit de atenção, hiperatividade, epilepsia e mal de Alzheimer.

Não é indicado que pessoas saudáveis ou sem um agravamento significativo dessas enfermidades tome nootrópicos.

O que achou de conhecer um pouco mais sobre os smart drugs? 

Foi possível compreender a sua real importância e o porque deve ter um acompanhamento médico. 

A promessa é de ativar partes do cérebro capazes de promoverem maior inteligência e concentração.

Lembre-se, não faça o uso dessas substâncias sem acompanhamento ou necessidade. 
Para ficar por dentro desse e outros assuntos, acompanhe o Mais Pinhais e tenha conteúdos em primeira mão!

<a href="https://maispinhais.com.br/author/paulamoraes/" target="_self">Paula Moraes</a>

Paula Moraes

Redatora freelancer, estudante de marketing digital, amante da comunicação, focada na produção de conteúdos relevantes!

0 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: