Atleta de Pinhais integra a primeira seleção brasileira de breakdance da história

9 mar, 2022

B-boy Dinho, que poderá representar o Brasil nas Olimpíadas de 2024, visitou a Prefeitura de Pinhais nesta semana

Nesta semana, a Prefeitura de Pinhais recebeu a visita de Dinho, o pinhaense que faz parte da seleção brasileira de breakdance. Na ocasião, o atleta conversou com a prefeita Marli Paulino, o secretário de cultura, esporte e lazer Bruno Valentim Courelas Sitima e o deputado federal Luizão Goulart. Também entrevistamos o b-boy, que pode ser o representante do Brasil nas Olímpiadas de Paris, em 2024. Nascido em Pinhais e “cria” da Vila Perdizes II, Winder Souza, o Dinho, contou um pouco sobre como começou a dançar break e sua expectativa em relação à dança que, agora, é modalidade olímpica. Confira.

Dinho, quando você começou a dançar break?

Comecei em 2001 aqui em Pinhais, quando tinha uns dez anos. Morei em Pinhais a vida toda, minha família mora aqui. Dançava na Vila Perdizes II, onde morava, e com o tempo fui fazendo contato com pessoas que dançavam em outras vilas, como no [Jardim] Claudia, Áquila, depois descobri o shopping Itália, o primeiro ponto de b-boys de Curitiba e um dos primeiros do Brasil. A partir dali fui para outros lugares, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul. Integrei a equipe que estou até hoje, a Stil Contact, a maioria dos membros estão comigo na Europa, viajamos bastante pelo Brasil e América latina… Faço amigos em cada lugar que vou, já visitei mais de 40 países…

Como você vê a cena de breakdance em Pinhais?

Em Pinhais tem um nível muito bom de break, os meninos da “Fly Boys” de Pinhais e Piraquara… A cena no geral no Brasil está mais enfraquecida devido a pandemia, porém em Pinhais o nível é muito bom.

O que muda para o break, agora que é uma modalidade olímpica?

Mesmo antes de virar modalidade olímpica, competições vem tendo desde que o break nasceu, na década de 70, nos Estados Unidos. Eu danço e venho competindo há pelo menos 18 anos. As primeiras viagens foram aqui pelo Brasil e, em 2009, fiz minha primeira viagem para a europa. Hoje faz 6 anos que moro lá, e participo de muitas competições desde então. Muitas competições são televisionadas, mesmo antes de ser modalidade olímpica, e agora vão ser ainda mais. Antes, existiam os jurados, que agora são árbitros, está tendo essa migração. Não vai deixar de ser cultura, tem os eventos culturais, que são ótimos também, e agora os eventos esportivos. Há dois anos, ganhei um evento de nível mundial, o Break the floor, na França. 

Você é integrante da seleção brasileira de breakdance. Como o Brasil será representado nas Olímpiadas?

Faço parte da primeira seleção de break da história, sou o único representante do sul do país. Esse ano terá o ranking, esses atletas vão competir e, dependendo da qualificação de cada um, vão sendo decididas as posições. São oito b-boys e oito b-girls. Nas olimpíadas será um representante de cada gênero por país. Serão feitos exames físicos, psíquicos, para desenvolver os atletas, para chegar nessa escolha final. O break faz parte da CNDD (Conselho Nacional de Dança Desportiva), que engloba uma série de danças, além do break. A partir de agora estão sendo criadas uma série de organizações de break, com a chegada nas Olimpíadas.

Qual a sua expectativa em relação ao break no Brasil, agora que é uma modalidade olímpica? Você, como membro da seleção, já nota mudanças?

Pelo fato de eu estar na seleção brasileira, já está me dando muita visibilidade. Se eu estiver ou não nas olimpíadas em 2024, vou torcer muito para que a pessoa que for, se desenvolva bem, possa nos representar muito bem. Tendo essa mudança da visão para esse tipo de cultura urbana, que eu possa inspirar de uma maneira positiva, produzindo algo de positivo não só para Pinhais, mas para o Brasil também. Se não for eu, que seja outro com boa filosofia de vida, sendo uma inspiração com algo de positivo e produtivo na vida das novas gerações. O incentivo à cultura e ao esporte pode mudar a vida das pessoas, assim como mudou a minha. No instagram sempre compartilho as viagens, as competições, treinos, meu estilo de vida.

Após a visita na Prefeitura de Pinhais, Dinho segue sua jornada de preparação e competições. O instagram do atleta é @dinho_stil. Estaremos por aqui sempre acompanhando o b-boy de Pinhais que está ganhando o mundo. Sucesso, Dinho!

<a href="https://maispinhais.com.br/author/maispinhais/" target="_self">maispinhais</a>

maispinhais

O Portal mais Pinhais foi criado em 2009 com o intuído de informar, mas fugindo da imprensa tradicional local, que visa muito as notícias negativas. O Mais Pinhais tem como “lei” não vincular nada de negativo.

0 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: